Licitação da ponte Central/Bequimão terá continuidade

Ponte-Pericumã-1024x576O Governo do Maranhão, por meio da Procuradoria Geral do Estado (PGE), teve o pedido de representação para a continuidade do processo de licitação da Ponte de Central Bequimão aceito pelo Tribunal de Contas do Estado (TCE). A decisão foi proferida na manhã desta quarta-feira (6) durante julgamento do TCE, onde o procurador-geral do Estado, Rodrigo Maia, realizou a sustentação oral dos argumentos do Governo do Maranhão.

“O Estado, por meio da PGE, alegou que não existiam as possíveis irregularidades e que nada comprometia o andamento do processo. Tudo foi realizado dentro das regras do processo de licitação e da própria Constituição Federal. O que aconteceu foram vícios formais [erros de planilhas], o que já foi encaminhado para ser sanado, por parte da administração pública. Diante disso, nós demonstramos que a continuidade do processo, que vai levar uma obra de grande impacto para aquela população, é de interesse público”, relatou o procurador-geral.

Em maio deste ano, uma das empresas que participava do processo de licitação, mas que não atendeu as solicitações legais do certame, levando a exclusão do processo, entrou com uma representação no TCE, pedindo a suspensão da licitação. No entanto, por unanimidade, o tribunal indeferiu o pedido da empresa, dando como sentença a continuidade da licitação por parte do Estado.

A autorização da construção da Ponte de Central Bequimão foi assinada pelo governador Flávio Dino no começo de 2015. A obra sobre o Rio Pericumã ligará o município de Bequimão à Central do Maranhão, passando pelas cidades de Mirinzal; Guimarães; Cedral; Cururupu; Porto Rico; Serrano do Maranhão; Bacuri e Apicum-Açu. A obra tem 600 metros de extensão e reduzirá em 32 km a distância para chegar a MA-106, que dá acesso ao Cujupe.

A obra está estimada em aproximadamente R$ 59 milhões e a primeira fase para a execução dos serviços consistiu na elaboração do projeto técnico, para que a obra esperada por décadas na região possa ser realizada. Para o secretário de Estado de Infraestrutura, Clayton Noleto, a construção da ponte permitirá a integração do desenvolvimento econômico e social da Baixada Maranhense, gerando riquezas e oportunidades de trabalho aos moradores.

“A ponte é um desejo da maioria da população da Baixada Maranhense que precisa ter as mesmas chances sociais dos ludovicenses. O projeto está sendo elaborado com técnicas precisas. A ponte representa um novo momento para o estado, é uma verdadeira virada de página na história do Maranhão”, afirmou o secretário Clayton Noleto.

Descaso: ponte do Macajubal cai pela terceira vez este ano

Ponte do Macajubal

Ponte do Macajubal

A única ponte que existe no povoado Macajubal já foi construída pela Prefeitura de Bequimão duas vezes só este ano. O material de péssima qualidade e a falta de mão-de-obra capacitada pode ser a causa do problema.

A ponte está quebrada, há mais de uma semana, e o prefeito Zé Martins (PMDB) não toma nenhuma providência. Até pedestres encontram dificuldades para passar pelo local. Moradores de mais de dez comunidades do eixo Macajubal a Pontal são obrigados a fazerem o trajeto pelo Barroso aumentando a viagem em quase dez quilômetros para saírem até o povoado Balandro e seguir para a sede do município.

Os serviços realizados na ponte estão comprometidos, o que pode ocasionar outro desmoronamento, caso seja concluída ainda este ano. Diferente do que publicou a Prefeitura não foram as fortes chuvas que causaram a destruição da ponte. Faz mais de um mês que não chove na região.

Segundo fontes da Câmara de Vereadores de Bequimão, o prefeito Zé Martins em recebeu em outubro de 2013 mais de meio milhão de reais para a recuperação da estrada vicinal, que liga Macajubal a Pontal. Apesar da quantia significativa de recursos, a população não sabe o que aconteceu com o dinheiro, pois quase nada foi feito.

O vereador Elanderson Pereira (PCdoB), lamenta a situação. “Vejo com muita tristeza a má aplicação do dinheiro do povo nas estradas vicinais do nosso município. A Prefeitura de Bequimão na gestão de Zé Martins recebeu do governo do Estado mais de quatro milhões de reais para recuperar essas estradas que ainda continuam do mesmo jeito” disse o comunista.

Teriam mais de 20 pontes, iguais a essa do povoado Macajubal, com estrutura ruim e ameaçadas de desabarem.

 

Ponte Central Bequimão vai beneficiar 10 municipios da Baixada e Litoral

mapaA ponte sobre o Rio Pericumã entre as cidades de Bequimão e Central do Maranhão vai beneficiar milhares de pessoas que precisam se deslocar até a capital São Luis. Com a conclusão da obra, o percurso será diminuído em até 120 km. Além de Bequimão e Central também serão beneficiados as cidade de: Mirinzal, Guimarães, Cedral, Porto Rico, Serrano do Maranhão, Cururupu, Bacuri, Apicum-Açu.

A obra está em fase de licitação e a perspectiva é que até o segundo semestre deste ano já seja iniciada. Essa obra é mais uma das ações do governo Flavio Dino nessa região. Bequimão já foi contemplado nesse governo com a construção da ponte do Balandro, que no governo Roseana Sarney, a população foi alvo de espancamento pela policia quando moradores interromperam a MA-106 reivindicando melhorias.

A ponte Central Bequimão terá cerca de 600 metros e foi uma das prioridades do governador Flávio Dino. Além de diminuir o percurso, a obra será importante para o crescimento econômico dessa cidade pela economia com escoamento da produção e transporte de cargas entre os estados do Maranhão e Pará.

Vereador Elanderson cobra melhorias na infraestrutura da cidade

IMG-20160509-WA0031[1]Em sessão plenária realizada na última sexta feira, o vereador Elanderson (PCdoB), fez indicação ao prefeito de Bequimão, Zé Martins (PMDB), para que providências sejam tomadas na melhoria da infraestrutura da Rua Antônio João Martins, no Centro da cidade.

O requerimento numero 01/2016 do comunista, prevê que o Executivo municipal realize os serviços de pavimentação asfáltica, rede de esgoto e meio fio. Em entrevista concedida a este blog, o vereador afirmou que foi procurado pelos próprios moradores que se sentiram incomodados com o descaso público. Além das péssimas condições de trafegabilidade, a Rua Antonio João Martins também está servindo para a proliferação de doenças como: dengue, chicungunya, zika virus.

IMG-20160509-WA0034[1]

Com as fortes chuvas que caem na cidade e com as inúmeras crateras formadas ao longo da rua existem muitas poças de águas, o que facilita com essas doenças endêmicas coloquem em risco a vida das pessoas. Para o parlamentar, o problema também é uma questão de saúde pública porque as condições de higiene são das piores devido ao acumulo de lixo no local. “Espero que o prefeito considere a gravidade da situação pela qual estão passado as dezenas de famílias residentes dessa rua e atenda de imediato essa indicação apresentada por mim”,declarou Elanderson

IMG-20160509-WA0037[1]

Segundo os moradores, o problema já existe há algum tempo e o prefeito Zé Martins é ciente, mas não tomou nenhuma providencia. Cansados de conviver com o descaso, eles apelaram para o poder legislativo. O vereador Elanderson foi o escolhido para levar o problema para a Câmara de Vereadores que de imediato reconheceu o problema e mais uma vez ficou do lado do povo. O requerimento foi votado e aprovado pela maioria dos vereadores. Agora ficará a cargo do prefeito, Zé Martins para a execução dos serviços ou simplesmente ignorar o problema.

Cerca de 20 famílias estão sofrendo com o problema. A Rua Antonio João Martins fica por traz da escola Manoel Beckman e serve de acesso entre a Avenida Itapetininga e a Praça da Igreja passando pelo Legislativo Municipal. A rua não foi incluída pelo prefeito no cronograma de recuperação asfáltica quando Bequimão foi beneficiado com recursos do Governo do Estado para a melhoria na infraestrutura da cidade.

Ponte do Rio Pericumã integrará dez municípios maranhenses

Em fase de licitação, a Ponte do Rio Pericumã, que ligará os municípios de Central do Maranhão e Bequimão, na Baixada Maranhense, terá obras iniciadas ainda neste semestre. A nova conexão – de cerca de 600 metros – foi priorizada pelo Governo do Maranhão por ser estratégica ao deslocamento da população de dez municípios dos arredores. Localizada na MA-211, a ponte reduzirá em até 125 km o percurso dos moradores da região.

“Uma obra estimada em R$ 76 milhões e que nós queremos entregar até o final da gestão do governador Flávio Dino, representa uma redução de percurso e favorece o estímulo ao turismo e a melhor comunicação entre o litoral norte e a capital”, ressaltou o secretário de Estado da Infraestrutura, Clayton Noleto.

De acordo com o secretário adjunto de Obras Rodoviárias da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra), Samuel Gonçalves, a ponte terá estrutura mista, composta de concreto e aço, com vigas metálicas. A escolha do material foi feita a partir de estudos técnicos e levantamento do tipo de solo, por exemplo. A profundidade de 25 metros do Rio Pericumã também levou a equipe projetista a optar pela estrutura mista. Além de mais ágil e prática, a composição mista permite uma execução mais limpa da obra, sendo mais sustentável.

Para Gonçalves, a ponte servirá como ligação não somente entre os municípios onde se instala, mas irá além, favorecendo a conexão entre a capital maranhense e a capital paraense e fortalecendo o comércio interestadual. “Muito mais do que os municípios, temos nessa ponte a possibilidade de ligação de São Luís com Belém do Pará. Ela tem uma abrangência muito grande no contexto do transporte naquela região. É uma aspiração antiga de toda aquela costa superior do Maranhão para interligação com a capital”, explicou o secretário adjunto de Obras Rodoviárias da Sinfra.

A construção da ponte permitirá, ainda, maior escoamento da produção e melhor abastecimento de regiões vizinhas. Samuel lembra que o acesso a mais equipamentos sociais também será catalisado a partir da nova ligação viária, que garantirá, ainda, melhor fluxo de transporte de pessoas e cargas.

“Facilita todo o contexto de abastecimento de gás, de alimentação e toda a logística. Além disso, claro, do ponto de vista social, permite maior acesso a hospitais, por exemplo. É uma ligação que reduz as distâncias, facilita a movimentação e dá comodidade à população”, disse Samuel Gonçalves.

Além de encurtar outros caminhos da Baixada, a ponte sobre o Rio Pericumã diminui em 32 km o trecho até a MA-106, que leva ao Cujupe. Assim, moradores dos municípios de Bequimão, Central do Maranhão, Mirinzal, Guimarães, Cedral, Cururupu, Porto Rico, Serrano do Maranhão, Bacuri e Apicum-Açu terão o trajeto até à capital estreitado.

Praça de Bequimão é transformada em campo de pastagem

20160409_075847A Praça 2 de Novembro em Bequimão considerada a mais importante da cidade, hoje vive em estado de abandono pelo poder público municipal. A praça que tem grande importância cultural por ser o local onde acontecem as festividades juninas e carnavalescas todos os anos, está tomada pelo capim.

20160409_075532

A população teme que animais selvagens como cobras por exemplo, passe a habitar o local que foi construindo para servir de lazer e hoje convive com o esquecimento do prefeito Zé Martins. A praça está com características de matagal.

A Praça 2 de novembro faz parte de um conjunto de obras inacabadas em Bequimão como: o mercado público, a praça da igreja e muitas escolas e quadras poliesportivas espalhadas por vários povoados.