Feliz Ano Novo!

O que muda com o ano novo?

O engenheiro que virou pastor

Por Tomaz de Aquino

Todos esperam a meia noite!. Esperam como se fosse um momento mágico que traz consigo tudo novo. Uns se preparam, usam a melhor roupa, escolhem na cor preferida ou aquela que pode lhe agregar algum tipo de sorte. Outros buscam seus deuses na esperança de que lhes faça algum bem.

Reúnem a família e amigos tendo à mesa uma bela ceia, tudo para esperar a virada dos ponteiros do relógio indicando o novo dia. Líderes institucionais eclesiásticos definem o tema do ano na esperança de que ao chegar o ano novo traga consigo o que foi declarado.

A meia noite chega, fogos iluminam os céus, pessoas se abraçam desejam feliz ano novo. O relógio passou das 24:00 hora. É novo ano!

O que mudou? A contagem do ano mudou e o que mudou de verdade?

Na verdade não mudou nada, simplesmente o dia nasceu como outro qualquer.

O tempo nunca é novo, ele sempre volta, só será novo se fizermos dele um novo tempo. Quem muda somos nós ou nada muda.

O tempo que chega a cada dia, seja ele um dia qualquer ou mesmo o primeiro dia de um novo ano, é apenas uma nova oportunidade que Deus nos dá para vivermos diferente.

Portanto faça de 2012 a nova melhor oportunidade que Deus te dá pra viver. Decida aproveitar esse tempo reiniciado para “quer comais, quer bebais, faça tudo para glória de Deus”. Decida viver de tal forma que a cada dia sejas transformado pelo Espírito de Deus em uma pessoa mais parecida com Jesus.

Se vivermos assim de fato e de verdade 2012 será um FELIZ ANO NOVO.

Em 2012 faça da sua casa a Casa do Senhor

Superintendente estadual do Incra faz visita de cortesia ao Jornal Pequeno

Do Jornal Pequeno

José Inácio e Lourival Bogéa

O superintendente estadual do Incra no Maranhão, José Inácio Rodrigues, fez ontem uma visita de cortesia ao Jornal Pequeno, onde foi recebido pelo diretor-geral do JP, Lourival Bogéa. Durante a visita, José Inácio discorreu sobre os desafios de fazer uma gestão eficiente, democrática e transparente na principal instituição do governo federal que trabalha a questão da reforma agrária no país. José Inácio assumiu o comando do Incra no início de setembro de 2011 e traça grandes planos para 2012.

Quinze imóveis rurais são destinados para reforma agrária no Maranhão

Do Jornal Pequeno

O Diário Oficial da União publicou os primeiros decretos de desapropriação de terras para fins de reforma agrária assinados pela presidenta Dilma Rousseff. São 60 imóveis rurais, somando área de 112,8 mil hectares para assentamento de 2,7 mil famílias de trabalhadores rurais. Dessas áreas, 15 estão no Maranhão.

Dos 60 imóveis constantes dos decretos, 15 são do Maranhão e tem capacidade para assentar 879 famílias de trabalhadores rurais sem terra. Entre esses imóveis estão: ‘Bebedouro, Data Laranjeiras’, com área de mil e dezesseis hectares, situado no município de Urbano Santos; ‘Pavi I e II’, com área de três mil, seiscentos e cinqüenta e um hectares, no município de Vargem Grande; ‘Boa Esperança, São Braz e Arrupiado’, com área de três mil, oitocentos e quarenta e seis hectares, situado nos municípios de Coelho Neto e Chapadinha.

‘A expedição desses decretos não só possibilita o assentamento de centenas de famílias no Maranhão, como reduz o número de conflitos pela posse da terra no estado e ainda preserva o meio ambiente já que, de acordo com os decretos de desapropriação, devem ser mantidas as áreas de reserva legal e preservação permanente dos imóveis decretados para fins de reforma agrária’, informou o superintendente regional do Incra-MA, José Inácio Rodrigues.

De acordo com o superintendente José Inácio, a Autarquia realizou vistorias nesses imóveis rurais e enviou os pedidos de desapropriação das áreas a Brasília para expedição dos decretos, atendendo reivindicações dos movimentos sociais e entidades ligadas aos trabalhadores rurais.

Com a publicação desses decretos, o próximo passo será a Procuradoria Especializada do Incra-MA requerer à Justiça Federal o ajuizamento das desapropriações para fins de reforma agrária. Em seguida, cabe à Justiça Federal autorizar a imissão do Incra na posse do imóvel.

A partir daí, as fazendas já podem ser utilizadas para fins de reforma agrária. O Incra expede portaria criando projeto de assentamento e finalmente as famílias de agricultores passam a ser atendidas pelas ações e programas do governo destinados aos beneficiários da reforma agrária.

Maranhão é o estado que mais desmata florestas, desde 1980

De O Globo

É preocupante também a velocidade de devastação do cerrado, cuja área foi reduzida em 25%

SÃO PAULO – O Maranhão foi o estado que desmatou com maior rapidez áreas de floresta de 1980 para cá. Segundo dados do mapa de recursos naturais, elaborado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), só restam 31% das áreas de floresta densa e 0,09% da floresta aberta(babaçu) do estado. É preocupante também a velocidade de devastação do cerrado, cuja área já foi reduzida em 25%, passando de 74.288,57km{+2} de vegetação natural para os atuais 57.130,04 km{+2}. Num estudo que considera apenas a Amazônia Legal, o Maranhão é o estado que possui maior área devastada, seguido por Tocantins e Mato Grosso.

– A soja ocupou as áreas de cerrado, no topo das chapadas. O mais preocupante é que nestas chapadas estão as nascentes dos três principais rios do estado, que são o Parnaíba, Mearim e Itapecuru. Ao contrário da vegetação natural, a lavoura impermeabiliza o solo, faz com que a água escorra, promovendo enchentes, e, ao mesmo tempo, reduz a vazão dos rios – explica Pedro Leal Bezerra, da gerência de recursos naturais do IBGE.

No caso das florestas, segundo o IBGE, elas estão restritas basicamente a áreas protegidas, especialmente reservas indígenas. Para Bezerra, se o Código Florestal, a ser sancionado pela presidente Dilma Rousseff, for de fato cumprido, o problema será solucionado. Se não houver fiscalização nos estados, porém, a devastação tende a continuar em ritmo acelerado.

Além de modificar a infiltração de água no solo, a atividade agrícola traz risco de contaminação por defensivos agrícolas.

O Maranhão poderia ainda usar menos água de rios para o consumo humano e para as lavouras. O mapa mostra que o estado possui aquíferos com volume estimado de 17.500 km³. Eles estão na bacia do Rio Parnaíba, nas rochas de Cabeças, Serra Grande, Sambaíba, Corda, Grajaú, Itapecuru, Ipixuna e Barreiras, com vazões que podem atingir 1.000 m³/h. A bacia sedimentar do Parnaíba tem, no total, 600 mil km², e, além do Maranhão, se estende pelos estados do Piauí e Pará.

– O estado usa principalmente a água superficial dos rios para abastecimento. Essas águas poluídas exigem tratamento, o que as torna caras para o consumo. Se usasse o aquífero, o Maranhão teria água potável, sem poluição alguma e que não exige tratamento. Basta furar poços. É uma alternativa bem mais barata – diz Bezerra.

O mapa, feito com auxílio de imagens de satélite, inclui os biomas Amazônia, Cerrado e Caatinga e seis tipos de vegetação: Floresta Ombrófila Densa (com árvores que não perdem as folhas na estação seca), Floresta Ombrófila Aberta (dominada por babaçu e/ou cipós), Floresta Estacional Semidecidual (com árvores que perdem parte das folhas na estação seca), Floresta Estacional Decidual (com árvores que perdem mais de 50% das folhas na seca), Savana(Cerrado) e Savana-Estépica (Caatinga do Sertão Árido) e as Áreas de Formações Pioneiras (várzeas e mangues, principalmente).

No Maranhão, restam 44,87% da floresta semidecidual e 24,11% da decidual.

O mapa revela ainda falhas geológicas que podem guardar minérios importantes a serem explorados na região das serras Pirapemas, Picos-Santa Inês, Tianguá-Carolina e Transbrasiliano. Em 2010, foi descoberta reserva de gás natural em Capinzal do Norte na região de Picos-Santa Inês. Segundo o IBGE, num poço perfurado pela Petrobras na década de 60, na região do município de Balsas, também foram encontrados indícios de gás natural. O município fica na área da falha geológica Tinguá-Carolina.

O Maranhão, segundo o IBGE, tem solos ao Sul e Norte do estado que precisam ser alvo de preservação ambiental, por apresentar alto risco de erosão. O mapa de recursos naturais do país deve ficar pronto em 2014. A primeira área mapeada foi a da Amazônia Legal e o Maranhão foi o último estado a ter seus dados detalhados.

Confira a programação do Festejo de São Sebastião em Baixo Escuro

ABERTURA DO FESTEJO DE SÃO SEBASTIÃO
(povoado Baixo Escuro – Bequimão : MA).

Dia 11/01/2012
06: 00 H – Salva de fogos
08: 00 h – Missa Campal
17: 00 h – Levantamento do mastro (ato religioso)
18:00 h – inicio das ladainhas
22:00 h – Baile dançante.

OBS: DE 11 a 19 de janeiro de 2012 haverá ladainha todas as noites, a partir das 18:00h.

DIA 19/01/2012
CAMPEONATO DE FUTEBOL
14:00 H – Partida entre os times do Baixo Escuro e time convidado (jogadores de São Luis);
16:00 h – Grande final do campeonato regional;
19:00 h – Baile dançante (até ao amanhecer).

DIA 20/01/2012
11:00 h- Grande encontro das famílias da região;
12:00 h – Encontro dos mordomos – Churrasco até o fim da tarde;
13:00 – Almoço dos mordomos e convidados especiais;
16: 00 h – Seresta ao vivo;
22:00 h – Festa dançante.

DIA 21/01/2012 – TRADICIONAL LAVA PRATOS
10:00 H – Partida de futebol – solteiros X casados;
12:00 h – Churrasco;
16:00 h – Derrubamento do mastro;
17:00 h – Seresta ao vivo;
22:00 h – Festa dançante até o amanhecer.

COMISSÃO ORGNIZADORA:
Roberto Costa
Vanzinho Pereira
Izidoro Costa.

Nota do blog: as programações dos festejos de São Sebastião podem ser enviadas para o e-mail bequimaoagora@gmail.com ou por mensagem para o Bequimão Agora no Facebook